Festa sexual

Eurodeputado húngaro admite ter sido apanhado em orgia em Bruxelas

Eurodeputado húngaro admite ter sido apanhado em orgia em Bruxelas

József Szájer, que renunciou ao cargo de eurodeputado no passado domingo, admitiu estar envolvido no escândalo da festa sexual em Bruxelas que ocorreu na noite da passada sexta-feira e pediu desculpas pela "irresponsabilidade".

"Estive presente naquela festa em Bruxelas. Mas não consumi drogas e ofereci-me para fazer um teste perante a polícia no local, mas não o fizeram", escreveu no comunicado à imprensa Szájer, também aliado próximo do primeiro-ministro da Hungria Viktor Orban.

Szájer foi ainda apanhado na posse de ecstasy. De acordo com a polícia de Bruxelas, foram encontrados cerca de 20 homens na festa, que foram multados em 250 euros cada. Além do eurodeputado, dois convidados invocaram imunidade diplomática.

Na festa, descrita como orgia pela polícia de Bruxelas, estava o eurodeputado e fundador do partido conservador Fidesz, József Szájer, que foi apanhado pelas autoridades belgas a tentar fugir do local.

"A polícia disse que tinha sido encontrado um comprimido de ecstasy. Não tive nada a ver com essa pílula; não sei quem a plantou nem como. Lamento ter quebrado as regras de reunião, foi irresponsável da minha parte e vou aceitar a punição por isso", acrescentou o húngaro, autor da Constituição que proíbe o casamento entre pessoas do mesmo sexo no país.

A "orgia", como classificam as autoridades e os meios de comunicação, estava a ser feita num apartamento de um bairro do centro histórico de Bruxelas, conhecido antes do bloqueio da pandemia de covid-19, pelos seus bares gays.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG