O Jogo ao Vivo

Bielorrússia

Jornalista bielorrusso gravado em vídeo a confessar crimes

Jornalista bielorrusso gravado em vídeo a confessar crimes

O opositor bielorrusso detido no domingo foi gravado em vídeo a admitir crimes e a dizer que está bem de saúde. Está preso num centro de detenção em Minsk.

O jornalista Roman Protasevich, de 26 anos, apareceu num vídeo em que, aparentemente, confessa crimes de que foi acusado pelo Estado bielorrusso. Protasevich, detido segundo o Ministério do Interior numa prisão de Minsk, diz que está a ser bem tratado e que as alegações sobre problemas cardíacos que terá sofrido são falsas. É possível que as palavras tenham sido gravadas sob coação.

O vídeo, publicado originalmente no Telegram, surge depois de ter sido divulgado um relatório não oficial dando conta de que o jornalista estaria num hospital em estado crítico com uma doença cardíaca. "Não se registaram queixas sobre o seu estado de saúde", disse depois a porta-voz do Ministério do Interior do país, numa mensagem publicada na rede social Telegram.

Procurado por terrorismo por causa de protestos

O opositor bielorrusso, detido no domingo após o desvio de um avião comercial para Minsk, foi colocado na lista do país de "indivíduos envolvidos em atividades terroristas" pelo seu papel em protestos em massa no ano passado (crimes que podem ser punidos com até 15 anos de prisão).

O avião desviado, da Ryanair, fazia a ligação entre a Grécia e a Lituânia e foi intercetado pela aviação bielorrussa pouco antes de entrar no espaço aéreo lituano, por ordem do presidente Alexander Lukashenko, alegando um alerta de bomba que, segundo Minsk, se revelou falso.

PUB

Roman Protasevich, 26 anos, antigo chefe de redação do influente jornal da oposição bielorrusso Nexta e que seguia a bordo do aparelho, foi detido após a chegada do avião à capital bielorrusa. Exilado na Lituânia, Protasevich é perseguido no país-natal por "organização de tumultos massivos", um crime passível de 15 anos de prisão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG