Rússia

Putin está doente? Investigação levanta suspeitas sobre saúde do líder russo

Putin está doente? Investigação levanta suspeitas sobre saúde do líder russo

O presidente da Rússia poderá estar doente e terá sido acompanhado em viagens regulares para fora de Moscovo por um especialista em cancro. É frequentemente visitado por médicos na cidade turística de Sochi, mantendo um especialista em tiroide sempre por perto, alega a agência de jornalismo de investigação russa "Proekt".

Segundo este órgão de comunicação, que agora foi proibido no país, Yevgeny Selivanov, especialista do Hospital Clínico Central de Moscovo, terá voado com Putin para Sochi 35 vezes. Durante um período de oito dias, em agosto de 2017, seis médicos estiveram em Sochi, incluindo Selivanov e o otorrinolaringologista Alexey Shcheglov.

A investigação sugere ainda que Putin foi submetido secretamente a uma cirurgia no outono passado, altura em que "não apareceu em público durante todo o mês de setembro". "No meio médico, acredita-se que o presidente estava a passar por um procedimento complicado relacionado com a algum tipo de doença da tiroide", escreve a agência, citada pelo jornal britânico "The Telegraph".

Estas alegações apoiam a especulação de que Putin tem cancro na tiroide e que tem usado esteroides como tratamento, o que poderia explicar o inchaço na sua cara.

Fiona Hill, investigadora do Centro sobre os Estados Unidos e a Europa, disse, em fevereiro, ao "Politico" que "Putin não parece tão bem, está com o rosto inchado. Sabemos que se queixou de problemas nas costas. Mesmo que não seja algo pior do que isso, pode estar a tomar altas doses de esteroides".

Por sua vez, o porta-voz oficial do Kremlin, Dmitry Peskov, terá negado esta possibilidade.

PUB

Banhos em chifre de veado

A agência refere que Putin tem recorrido a uma terapia alternativa: banhos em chifre de veado. O tratamento terá sido apresentado no início dos anos 2000 pelo atual ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu. O extrato é retirado dos chifres de veado vermelho, removido com uma serra na primavera, quando os chifres estão cheios de sangue fresco.

Segundo o "Proekt", Putin realiza esta terapia numa clínica em Altai, na Sibéria. "Um conhecido do presidente afirma que foi avisado de que não há evidências conclusivas dos benefícios dos banhos de chifre. Mas Putin gostou e, desde então, revisitou Altai várias vezes", escreve.

Saúde é a "prioridade número um"

A mesma investigação refere o isolamento rigoroso cumprido pelo presidente russo durante a pandemia de covid-19.

"Putin passou a pandemia de covid-19 de uma forma que nenhum chefe de Estado do Mundo jamais fez: o presidente russo realizou a maioria das suas reuniões via videoconferência e só permitiu que os poucos visitantes o vissem após uma quarentena de duas semanas e um exame às fezes. Era óbvio que a saúde do líder era a prioridade número um".

A agência recorda o encontro de Putin com Emmanuel Macron, presidente francês, em fevereiro deste ano, em que os líderes se sentaram nas pontas de uma longa mesa de quatro metros e nunca chegaram a apertar as mãos. Fontes diplomáticas francesas disseram, na altura, que Macron tinha sido aconselhado a escolher entre aceitar um teste PCR russo para se aproximar de Putin ou obedecer a regras restritas de distanciamento social. Macron recusou o teste.

"Parece haver uma urgência"

Dias depois da invasão da Ucrânia, o alto oficial da marinha britânica Chris Parry disse acreditar que Putin pode estar a lutar contra um cancro, o que o levou a invadir a Ucrânia. "Acho que o sistema imunológico dele pode estar suprimido. É um homem com pressa."

Fiona Hill, que trabalhou como agente de informações dedicada ao tema da Rússia e da Eurásia, no Conselho Nacional de Informações dos EUA, concorda que "parece haver uma urgência para isto".

"Pode ter a sensação de que o tempo está a avançar - são 22 anos, afinal, e a probabilidade de um líder russo sair voluntariamente ou através de eleições é muito pequena. A maioria dos líderes sai como o presidente bielorrusso Alexander Lukashenko pensou que poderia sair, como resultado de protestos maciços, ou morrem no cargo. A única outra pessoa que foi líder russo nos tempos modernos durante mais tempo do que Putin é Estaline e Estaline morreu no cargo", disse.

A saúde de Putin já é tema de debate há vários anos. Valery Solovei, cientista político e ex-chefe do Departamento de Relações Públicas do Instituto Estadual de Relações Internacionais de Moscovo, afirmou, em 2020, que Putin tem cancro e sintomas da doença de Parkinson, alegando ainda que o líder russo passou por uma cirurgia de emergência em fevereiro de 2020. Por outro lado, outra fonte russa afirmou que se tratava de uma operação a um cancro abdominal.

Este mês, um ex-responsável de informações militares que agora trabalha no Pentágono, citado pelo "Daily Star", alegou que Putin vive com dores que podem ser resultado de cancro. "No passado, vimos Putin a sorrir, mas em 2022 há poucas fotos dele feliz. O olhar dele sugere que está com dores e (...) e o seu olhar zangado deve-se provavelmente a estar em agonia".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG