Covid-19

Lisboa acima do limiar de risco pela segunda semana consecutiva

Lisboa acima do limiar de risco pela segunda semana consecutiva

Numa semana, a taxa de incidência no concelho de Lisboa subiu de 153 para 181 casos de covid-19 por 100 mil habitantes em 14 dias. Há cinco municípios com mais de 240 casos.

Os dados desta sexta-feira da Direção-Geral da Saúde (DGS) foram apurados entre 19 de maio e 1 de junho. Recorde-se que a capital entrou, na semana passada, para o grupo dos municípios em situação de alerta e foram definidas medidas para travar o aumento de contágios, mas o concelho não recuou no desconfinamento.

Pela segunda semana consecutiva, Lisboa tem uma incidência acima do limiar de risco, ou seja, com mais de 120 novos casos por 100 mil habitantes em 14 dias. Há duas semanas tinha uma taxa de incidência de 118 casos e na semana passada de 153 casos. Esta semana, tem incidência de 181 casos. A manterem-se os critérios e se os números não descerem, o concelho poderá deixar de avançar ou até pode ter de recuar nas medidas de desconfinamento.

Além de Lisboa, também os concelhos de Salvaterra de Magos, Vale de Cambra, Braga, Cantanhede e Castelo de Paiva estão em alerta. Dos 278 concelhos de Portugal Continental, apenas dois - Golegã e Odemira - continuam sujeitos a medidas mais restritivas, enquanto a maioria (276) fica na quarta e última fase do atual plano de desconfinamento, de acordo com a decisão do Governo anunciada na quarta-feira.

De salientar que nos concelhos de baixa densidade os níveis de risco são aplicados no dobro em relação aos restantes concelhos: limite de 120 passa para 240 e de 240 para 480. Odemira (449) é o único concelho de baixa densidade populacional acima do limiar de risco.

cinco concelhos com mais de 240 casos por 100 mil habitantes: Golegã, com 318, Odemira, com 449, Nordeste, com 288, Ribeira Grande, com 546, e Vila Franca do Campo, com 299.

PUB

Com incidência acima dos 120 casos por 100 mil habitantes, a linha vermelha definida pelo Governo para avançar ou recuar no desconfinamento, há 20 concelhos (na semana passada eram 18 e há duas semanas eram 41), 15 dos quais no nível entre os 120 e os 239 casos: Arganil, com 154, Braga, com 147, Cantanhede, com 146, Castelo de Paiva, com 142, Chamusca, com 130, Fronteira, com 168, Lisboa, com 181, Montalegre, com 133, Paredes de Coura, com 187, Ponta Delgada, com 146, Póvoa de Lanhoso, com 130, Salvaterra de Magos, com 160, Santana, com 179, Sertã, com 123, e Vale de Cambra, com 173.

A nível nacional, 288 dos 308 concelhos (93%) estão abaixo do limiar de risco, o que traduz uma situação epidemiológica controlada no país. Inclusivamente, há 67 municípios que não registaram qualquer novo caso nas últimas duas semanas.

No concelho do Porto, a taxa de incidência baixou de 75 para 64 novos casos por 100 mil habitantes em 14 dias.

A classificação do risco da incidência por concelho é realizada de acordo com as categorias utilizadas pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças: abaixo de 20,0 casos (nível mais baixo); entre 20,0 e 59,9; entre 60,0 e 119,9; entre 120,0 e 239,9; entre 240,0 e 479,9; entre 480 e 959,9; acima de 960 (nível mais elevado).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG