Em Atualização

Escolas fechadas, aulas canceladas e universidades a pedir a alunos para não irem

Escolas fechadas, aulas canceladas e universidades a pedir a alunos para não irem

O surto de Covid-19, particularmente intenso no Norte, mas com casos no centro, sul e Algarve, motivou o fecho de várias escolas, faculdades e institutos.

Milhares de alunos estão sem aulas, esta segunda-feira. Em alguns casos, a suspensão ou encerramento é para durar, pelo menos, 15 dias.

Alunos, docentes e investigadores oriundos de Lousada e Felguieras, epicentro do foco de coronavírus a Norte, que regista 23 dos 32 casos no país, estão a ser "convidados" a não se deslocaram às universidades onde estudam ou lecionam.

A Universidade da Beira Interior (UBI), na Covilhã, distrito de Castelo Branco, pediu aos alunos de Lousada e de Felgueiras para não se deslocarem àquela instituição, se tiverem estado nas suas zonas de origem, para evitar eventual propagação de Covid-19.

"Numa altura em que os casos de infeção [Covid-19] na zona norte do país estão a aumentar, a UBI apela a que os estudantes residentes nos concelhos de Lousada e Felgueiras não se desloquem à universidade, se tiverem estado nas suas zonas de origem nas últimas semanas", é referido.

A Universidade Católica Portuguesa, no Porto, seguindo as orientações da DGS, recomenda "a todos os estudantes, docentes, investigadores e colaboradores residentes nos concelhos de Felgueiras ou Lousada que não se desloquem para as instalações" daquela instituição.

Também esta segunda-feira de manhã, a Universidade do Porto (UPorto) acaba de recomendar "a todos os estudantes, docentes, investigadores, técnicos e restantes funcionários residentes nos concelhos de Felgueiras ou Lousada que não se desloquem para as instalações" da instituição. A informação foi enviada por email, às 10 horas da manhã, quando muitos dos visados já estariam nas instalações.

Na sua página no Facebook, a UPorto recorda ainda que o complexo do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar e da Faculdade de Farmácia encontra-se encerrado após a confirmação de um caso de infeção por Covi-19 numa estudante de Farmácia.

Refira-se, ainda, que as atividades letivas do Mestrado Integrado em Medicina encontram-se suspensas, por determinação do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de São João, onde estão internados grande parte dos mais de 30 casos registados no país.

Suspensas aulas na área da saúde

Para evitar a propagação do coronavírus, estão também suspensas as aulas na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e ainda em todos os estabelecimentos da Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário (CESPU), que gere o Instituto Universitário de Ciências da Saúde, em Gandra, no distrito do Porto, e o Instituto Politécnico de Saúde do Norte (que integra a Escola Superior de Saúde do Vale do Ave, em Vila Nova de Famalicão, e a Escola Superior de Saúde do Vale do Sousa, também em Gandra).

O polo de Gualtar da Universidade do Minho, em Braga, foi encerrado por tempo indeterminado bem como todos os edifícios partilhados como bares, cantina, biblioteca e espaços desportivos. Segundo informação revelada esta segunda-feira pelo Reitor, Rui Vieira de Castro, há 87 alunos nas residências universitárias em quarentena profilática. A medida foi aplicada na residência Carlos Lloyd e nos blocos B e D da residência Santa Tecla.

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em Vila Real, decidiu suspender eventos e atividades desportivas da responsabilidade da academia, bem como as deslocações em serviço para países afetados pela Covid-19.

A ordem dos Advogados anunciou, também, as sessões de formação presencial para o curso de estágio, devido ao coronavírus.

Politécnico de Viana cancela eventos públicos

O Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) anunciou, esta segunda-feira, o cancelamento de eventos públicos de promoção da instituição de ensino e emprego programados para 18 de março no Centro Cultural daquela cidade. Adiantou ainda que irá adotar outras medidas em relação a todos os seus serviços e unidades orgânicas.

"Face à situação que se vive no norte do país com a infeção Covid-19, consideramos que o mais sensato é a suspensão da Cimeira IPVC e o adiamento da Feira de Emprego, uma vez que são eventos realizados em locais fechados e que envolvem uma grande concentração de pessoas", anunciou fonte do IPVC, referindo: "Reconhecemos o impacto desta medida, mas consideramos que é fundamental contribuir para o controlo deste surto".

A feira de emprego do Politécnico de Viana agregava cerca de meia centenas de empresas, com oferta de cerca de um milhar de empregos.

"Brevemente será anunciada a nova data para a realização da feira de emprego sendo que a mesma terá lugar quando a situação melhorar no contexto da região e do país", concluiu.

Instituto de Estudos Superiores de Fafe encerra por precaução

O Instituto de Estudos Superiores de Fafe (IESF) anunciou que estará encerrado por tempo indeterminado devido ao surto do COVID-19. Numa nota publicada esta terça-feira de manhã, a direção do IESF apela a que "seja mantida a calma e que sejam mantidas todas as medidas profiláticas largamente difundidas".

O IESF tem nesta altura cerca de 750 alunos matriculados, nos diversos cursos, mestrados e especializações. A proximidade de Fafe aos concelhos de Felgueiras e Lousada e a agregação de muitos jovens da região levou a esta tomada de posição.

Escola Superior de Tecnologia fecha em Felgueiras, Amarante, Lousada e Penafiel

A Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) do Politécnico do Porto fechou, esta segunda-feira, por tempo indeterminado "todas as instalações onde decorrem aulas" no centro de Felgueiras e em Lousada, mas também em Amarante e Penafiel, distrito do Porto.

"Estas medidas condicionam a atividade de cerca de 1800 pessoas, entre estudantes, pessoal docente e não-docente, com a suspensão da atividade letiva de 21 cursos", acrescenta a instituição, em comunicado.

A ESTG esclarece que o encerramento "de todos os locais onde existem atividades letivas" foi considerado "prudente" após a Direção-Geral de Saúde (DGS) ter anunciado o encerramento de todas as escolas básicas, preparatórias e secundárias em Felgueiras e Lousada".

Os locais encerrados incluem "o campus 3 do Politécnico do Porto, no centro de Felgueiras" e as instalações dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais, estas situadas nas cidades de Amarante, Felgueiras, Lousada e Penafiel.

Duas escolas fechadas em Portimão e outras tantas na Amadora

A Escola Básica do 2.º e 3.º ciclo Professor José Buel, em Portimão, é a mais recente a ser fechada devido ao risco de propagação de coronavírus em Portugal. É neste estabelecimento de ensino que dá aulas a mãe de uma adolescente de 16 anos que foi diagnosticada com Covid-19, no domingo, naquele que é o primeiro caso da doença, no Algarve.

Assim que foi confirmado este caso, foi anunciado o fecho da escola secundária Manuel Teixeira Gomes, em Portimão, onde a aluna estuda. Não está fora de causa o encerramento ou suspensão das aulas nas escolas onde estudam as irmãs da adolescente infetada.

Segundo a autarquia de Portimão, há cerca de 1800 alunos sem aulas. São duas as escolas fechadas em Portimão, a que se juntam a outras tantas na Amadora - a Escola Básica 2-3 Roque Gameiro e a Secundária da Amadora.

Acresce o encerramento de todas as escolas, e outros estabelecimentos públicos, nos concelhos de Felgueiras e Lousada.

Devido ao surto de Covid-19, em Felgueiras e Lousada foram encerrados ginásios, bibliotecas, piscinas e cinemas, além de todas as escolas. Os residentes naqueles dois concelhos do distrito do Porto foram aconselhados a evitar deslocações desnecessárias.

Segundo o comunicado revelado no domingo à noite, havia 31 casos confirmados de coronavírus em Portugal. Além dos 23 casos a norte havia um no centro, seis em Lisboa e um no Algarve, o da jovem de 16 anos.

Estão atualmente identificadas quatro cadeias de transmissão e há casos importados de Itália (5) e de Espanha (1).

Universidade Egas Moniz em Almada sem aulas durante duas semanas

A Universidade Egas Moniz, no Monte da Caparica em Almada, decidiu suspender as aulas durante as próximas duas semanas a partir desta terça-feira devido à evolução da epidemia Covid-19 em Portugal. Num comunicado publicado no website, a direção refere que apesar de não existirem casos suspeitos ou confirmados entre a comunidade, decidiu suspender as atividades letivas até 23 de março, alegando o elevado número de docentes e alunos que realizam deslocações internacionais.

A direção admite reavaliar regularmente a situação epidémica durante este período de suspensão das atividades letivas e pondera prolongar o calendário escolar do atual ano letivo, podendo mesmo readaptar a forma como as aulas são lecionadas e as avaliações são realizadas.

A universidade decidiu suspender também as deslocações nacionais e internacionais a zonas onde existe transmissão ativa do coronavírus e instituiu o isolamento preventivo para toda a comunidade Egas Moniz que tenha estado nos últimos 14 dias nessas zonas ou em contacto com doentes ou suspeitos da doença.

Ainda assim, todas as restantes atividades vão manter-se em atividade, tais como as clínicas com consultas assistenciais, urgência e triagem, laboratórios de investigação e de serviços à comunidade e todos os serviços de apoio e académicos, lê-se no comunicado. Também a Residência Universitária Egas Moniz manter-se-á em funcionamento.

Outras Notícias