Imagens

Últimas

Pedro Ivo Carvalho

Cuba: a hora é de liberdade

Ainda é cedo para dizermos se a sublevação popular em Cuba vai conduzir a um novo tempo político, económico e social. Sobretudo porque a ditadura comunista que governa a ilha há décadas tem conseguido sempre encontrar um expediente que garanta a sua sobrevivência e a eternização romântica do "pátria ou morte", frase-bandeira celebrizada por Che Guevara em 1964 que continua a ser muito popular em t-shirts do mundo ocidental, mas que não tem feito outra coisa senão arrastar o povo da ilha das Caraíbas para a miséria.

Pedro Ivo Carvalho

Só eles sabem porque não ficam em causa

Há dias, numa magnífica entrevista ao jornalista Sérgio Pires, o escritor Álvaro Magalhães dissecou com mestria as peculiaridades da tribo do futebol. Detive-me numa passagem: "Porque é que a gente gosta disso (do futebol)? Porque nos anima. Porque nos dá vida. Vida anímica, irracional, inconsciente. E nós precisamos disso. Falta-nos esse território quase animal. Somos criaturas civilizadas, mas temos também uma zona animal, que alimentamos através do futebol".

Pedro Ivo Carvalho

Porto sentido

Com mais ou menos requinte, são infindáveis os epitáfios já escritos dedicados ao modelo social europeu. A Europa tem muitas falhas endémicas, mas continua a ser o mais perfeito de entre os imperfeitos projetos de integração social e civilizacional do Mundo. De resto, parte considerável da sua inércia tem que ver precisamente com as hesitações naturais de um bloco político formado por culturas, línguas, economias, personalidades e conceitos democráticos diversos. São demasiadas vozes a tentar fazer-se ouvir numa sala onde todos ecoam.

Pedro Ivo Carvalho

Polícia bom, polícia mau

A estabilidade do regime tem dependido, em larga medida, da elasticidade que resulta das tensões e compensações entre o presidente da República e o primeiro-ministro. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa têm demonstrado uma invejável argúcia para se ampararem um no outro. Mesmo quando tropeçam um no outro. O contexto pandémico, que coincidiu com a etapa final do primeiro mandato em Belém, reforçou essa cumplicidade interessada, mas o sentido único da solidariedade institucional pode ter os dias contados. Porque o presidente parece ter mudado no que sempre foi.

Pedro Ivo Carvalho

Eutanásia à prova de bala

Se há coisa que Marcelo Rebelo de Sousa sabe fazer muito bem é sustentar juridicamente as suas posições de princípio. A fundamentação que alicerça o pedido de fiscalização preventiva da morte medicamente assistida que o presidente da República enviou ao Tribunal Constitucional é de uma inteligência argumentativa e objetividade assinaláveis, porque cumpre a missão essencial deste expediente sem se deixar contaminar pelas convicções pessoais (e políticas) do cidadão Marcelo, católico confesso e conhecido opositor desta prática clínica.

Pedro Ivo Carvalho

A liberdade não é isto

Quando somos sujeitos de forma penosa às mesmas rotinas, qualquer alternativa, por mais excêntrica que seja, tem um efeito de regeneração. É libertador mudar quando nos forçam a repetir tudo durante demasiado tempo. Não admira, por isso, que, por esse Mundo fora, comecem a ganhar lastro mediático os movimentos de negacionistas da pandemia, gente que se insurge contra a realidade sem querer perceber nada do que está a acontecer. Gente capaz de juntar factos, mas que prefere camuflá-los numa capa de insurreição.