Música

Jason Derulo confirmado no Rock in Rio 2021

Jason Derulo confirmado no Rock in Rio 2021

Depois de ter adiado a edição deste ano, o Rock in Rio (RiR) promete voltar ao Parque da Bela Vista, em Lisboa, no próximo ano, nos fins de semana de 19 e 20, 26 e 27 de junho.

O cantor, compositor, ator e dançarino norte-americano Jason Derulo é o novo nome do cartaz e a organização diz estar otimista.

"A gente estava muito feliz com cartaz de 2020 que é o mesmo do que está programado para a edição do próximo ano. Tínhamos já vendidos mais de 65 mil bilhetes com uma antecedência fenomenal. Isso demonstrava que era um cartaz acertado. Por isso a gente batalhou muito nos últimos meses para o manter", afirmou Roberta Medina, reponsável pela realização do RiR em Portugal e em Espanha, ao JN. Medina garantiu que nem sequer foram abertas negociações com outros artistas.

De acordo com o que a organização anunciou ontem, no dia 26 de junho de 2021 os "Hungry Like the Wolf" ou "Take On Me" estarão também no Palco Mundo da Cidade do Rock. Os veteranos ingleses Duran Duran e os noruegueses A-ha, ambos ícones dos anos 80 do século passado, mantém-se no cartaz do festival, assim como os britânicos Bush, que juntamente com Xutos & Pontapés completam o alinhamento para este dia.

No dia seguinte e a 27 de junho (último dia do festival) está confirmada a presença do fenómeno do rap Post Malone. O artista norte-americano vai subir ao Palco Mundo da Cidade do Rock no mesmo dia que Anitta e HMB, a quem se junta agora o nome de Jason Derulo que se estreia no evento.

Para a 9.ª edição do Rock in Rio Lisboa estão, também, confirmados Foo Fighters, The National e Liam Gallagher (a 19 de junho, o primeiro de quatro dias de evento), além de Black Eyed Peas, Ivete Sangalo e David Carreira (20 de junho).

"Voltar a ser o que foi"

PUB

Não obstante o futuro incerto da evolução da pandemia, Roberta Medina acredita que, em 2021 o Rock in Rio Lisboa vai mesmo acontecer. "Vejo que tudo irá voltar ao normal. Não é que não vá ter mais álcool gel, limpeza de mãos e tudo isso. Aliás, o RiR já tem uma quantidade de regras aplicadas. Mas um festival de música vai voltar a ser o que sempre foi. Com gente junta. Acredito completamente que 2021 vai ser assim."

Instada a concretizar de que forma poderá tornear as regras de distanciamento social num evento da grandiosidade do RiR, a responsável defende que a questão de aglomeração de público será fácil de resolver. "Acho até que é muito fácil gerir isso e controlar a chegada das pessoas. O problema vai-se resolver primeiramente pelo teste rápido. Isso sim, vai resolver facilmente o retorno aos grandes eventos".

Analisando a presente situação do setor artístico em Portugal, Roberta Medina mostra-se sobretudo preocupada com os técnicos que trabalham nos bastidores dos grandes eventos e e cujo trabalho, diz, não tem visibilidade.

"Quando se olha para a cultura e para a música são vários os patamares a ter em conta. Há gente, que não os grandes artistas, que precisa do salário para pagar as suas contas. Como se pode pedir para a indústria do entretenimento se mexer quando exige redução de espectadores? Num festival não há meio cenário. Acho que se está a levar muito tempo para se olhar para este setor. E cabe ao Governo adotar medidas. Porque uma coisa é a cultura da consciência, outra coisa é a cultura do medo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG