Natação

Nadador ucraniano vence medalha no Mundial enquanto pai está na guerra

Nadador ucraniano vence medalha no Mundial enquanto pai está na guerra

Mykhailo Romanchuk ficou com o bronze nos 800 metros livres no Mundial de natação. Sobre nadador russo que marcou presença em parada a favor da guerra , confessou: "Estava capaz de o matar".

O nadador ucraniano Mykhailo Romanchuk, que nos Jogos Olímpicos de Tóquio tinha conquistado uma medalha de prata e outra de bronze, já conquistou nos Mundiais de Budapeste, que começaram no dia 17 e que decorrem até 3 de julho, uma medalha de bronze nos 800 metros livres, enquanto o seu país vive uma guerra. O pai do atleta, aliás, é um dos milhares de ucranianos que luta contra a invasão russa e Romanchuk revelou que tem medo de contactar o pai.

"Não se pode contactar à rede porque os russos conseguem gravar tudo", explicou o nadador. "Mesmo assim ele envia-me uma mensagem todas as manhãs a dizer que está bem", acrescentou.

PUB

Romanchuk, que ainda competirá nos 1500 metros livres e nos 5 mil metros e 10 mil metros na disciplina de águas abertas, revelou que ponderou ficar na Ucrânia e combater, falhando os Mundiais, quando a guerra despoletou, em fevereiro. "A minha intenção era ir para a guerra e defender a minha casa", contou, mas uma conversa com a mulher demoveu-o. "Decidimos que não conseguia fazer nada com uma arma. Para mim é melhor continuar a treinar, é o que sei fazer melhor", acrescentou.

Os atletas russos e bielorrussos foram impedidos de participar no Campeonato do Mundo e o atleta ucraniano diz que poderia ter-se tornado agressivo com Evgeny Rylov, campeão olímpico que marcou presença numa manifestação a favor da guerra. "A minha reação poderia ser agressiva, não sei. Dentro de mim, estava capaz de o matar. Antes ele era um bom amigo, mas tudo mudou", explicou Romanchuk.

Por fim, o nadador mostrou-se muito orgulhoso por ser ucraniano e pelo povo que representa. "Estou muito orgulhoso de todas as pessoas na Ucrânia. Estou orgulhoso do povo, do governo, do presidente. Estou muito feliz por ser ucraniano", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG