Premium

Rede de piratas saca um milhão de contas bancárias

Rede de piratas saca um milhão de contas bancárias

Falsos emails de bancos, sobretudo do Montepio, enganavam clientes que davam dados e ficavam sem depósitos. O processo já tem 55 arguidos. A rede funcionava a partir de Braga.

Apoderaram-se, através do método de "phishing" (furto de dados bancários e pessoais), e a partir de Braga, de mais de um milhão de euros de dezenas de contas bancárias, a maioria das quais do Montepio Geral, sobretudo no Minho. O caso, em investigação no Ministério Público de Braga, terá já 55 arguidos, alguns dos quais cidadãos brasileiros, suspeitos de participarem na fraude.

O esquema prolongou-se até 2018, partindo de um núcleo de três homens, que arranjaram outros tantos piratas informáticos para acederem, através da Internet, a contas bancárias de cidadãos e empresas, delas retirando quantias que podiam ir dos mil aos dez mil euros. Na maioria dos casos, os lesados deixavam-se enganar por falsos emails com um aspeto semelhante aos do seu banco e davam os códigos de acesso, permitindo a fraude.