Campus da Justiça

Suspeito de planear ataque à Faculdade de Ciências já chegou ao tribunal

Suspeito de planear ataque à Faculdade de Ciências já chegou ao tribunal

Já começou a ser ouvido pelo juiz o jovem de 18 anos, detido na quinta-feira pela Polícia Judiciária por suspeitas de estar a planear, para esta sexta-feira, um atentado na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

O suspeito, estudante de engenharia informática, chegou ao Campus de Justiça pelas 9 horas mas só começou a ser ouvido por volta do meio-dia. Inicialmente foi nomeado um advogado oficioso para defender o suspeito, mas pouco antes do jovem começar a ser ouvido chegou um advogado indicado pela família do jovem. A alteração terá atrasado um pouco o início da audição.

Prevê-se que as medidas de coação sejam conhecidas em breve, uma vez que vão ser aplicadas logo após o fim do interrogatório.

O suspeito, indiciado por posse de armas proibidas e terrorismo, passou a noite no estabelecimento prisional anexo à sede da PJ, em Lisboa.

Natural da Batalha e aluno do 1.º ano de Engenharia Informática, foi surpreendido pela Polícia Judiciária (PJ) em casa, nos Olivais, na quinta-feira. Na sua posse tinha facas do mato e uma besta (flecha) que queria usar para matar os colegas com quem se cruzasse esta sexta-feira de manhã.

De acordo com informações recolhidas pelo JN, o alerta foi dado às autoridades portuguesas pelo FBI, a polícia federal dos EUA, depois de esta ter recebido uma denúncia anónima de um utilizador da Deep e/ou da Dark Web, uma espécie de submundo da Internet, inacessível à generalidade das pessoas, e onde o estudante universitário terá anunciado que iria levar a cabo um atentado contra os colegas de faculdade.

PUB

A informação foi comunicada pelo FBI à secreta nacional - Serviço de Informações de Segurança (SIS) -, que, por sua vez, a transmitiu à PJ. Esta conseguiu, em tempo recorde e através da Unidade Nacional de Contraterrorismo, identificar o jovem, solitário e sem muitos contactos sociais. Vigiou-o alguns dias e, ontem, travou o ataque a apenas 24 horas de, previsivelmente, ocorrer.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG