Surto

Infetados após festa ilegal em Lagos sobem para 90

Infetados após festa ilegal em Lagos sobem para 90

A festa ilegal em Odiáxere, no concelho de Lagos, já causou 90 infetados por covid-19. A delegada de saúde regional garante que o surto "está contido". O presidente da autarquia pede que sejam apuradas eventuais responsabilidades criminais.

No balanço feito esta sexta-feira, em conferência de imprensa, a delegada de saúde regional, Ana Cristina Guerreiro adiantou que até à meia-noite, havia "76 casos". O número subiu entretanto para 90, estando ainda a ser aguardados os resultados dos testes feitos durante o dia.

Há duas pessoas que ainda estão internadas porque o estado de saúde "merece alguma atenção", explicou, havendo 345 pessoas em isolamento em casa para evitar novas cadeias de transmissão. Dos casos confirmados, a maioria diz respeito a residentes em Lagos. Há casos também em Portimão, Lagoa, Albufeira e Loulé e fora da região.

Ainda segundo aquela responsável, "nem todos estiveram na festa", tendo sido infetados por familiares, como é o caso das crianças, e em contexto de trabalho. A maior parte dos infetados tem entre os 20 e 29 anos de idade. Entre as crianças atingidas, cerca de uma dezena tem menos de 9 anos.

Ana Cristina Guerreiro assegura que o surto "está contido" e que se está a proceder "à identificação das pessoas que participaram na festa e os respetivos contactos", com encaminhamento para testagem. Não está prevista, para já, "qualquer medida mais gravosa".

O foco de contágio teve origem numa festa ilegal, a 7 de junho, no salão de festas do clube desportivo de Odiáxere, em Lagos. Terá sido autorizada para um aniversário com a participação de cerca de dez pessoas, o que não se verificou. À festa terão comparecido mais de cem pessoas, tendo a GNR sido chamada ao local. Presente na conferência de imprensa, o presidente da Câmara Municipal de Lagos, Hugo Pereira, pediu "que se faça justiça".

Outras Notícias