O Jogo ao Vivo

DGS

Centros de saúde emitem 42 mil guias de exercício físico

Centros de saúde emitem 42 mil guias de exercício físico

Os centros de saúde emitiram mais de 42 mil guias de aconselhamento de atividade física em 2021. O relatório do Programa Nacional para a Promoção da Atividade Física (PNPAF), da Direção Geral de Saúde (DGS), indica que dois em cada 100 utentes utilizadores de Cuidados de Saúde Primários (CSP) foram avaliados e que os portugueses estão a mexer-se mais.

O relatório do PNPAF, publicado no dia mundial da atividade física, que se assinala hoje, revela que foram emitidas no ano passado 42 645 guias de aconselhamento de atividade física por parte dos Cuidados de Saúde Primários, um aumento de 18% face ao ano anterior. A DGS também informa que, desde 2017, quando esta ferramenta foi disponibilizada, já foram realizadas mais de 261 mil consultas, 23,2% das quais foram feitas no último ano (60 696 consultas). Os mesmos dados mostram que 53,4% dos inquiridos em 2021 apresentaram níveis adequados de atividade física, um aumento de 7,4% face a 2020.

Segundo a DGS, foram avaliados 2235 em cada 100 mil utentes que utilizaram os centros de saúde, concluindo que a monitorização dos níveis de atividade física duplicou nos centros de saúde entre 2020 e 2021.

PUB

O relatório também refere que, em média, 2 em cada 100 utentes utilizadores de Cuidados de Saúde Primários (CSP) foram avaliados, pelo menos uma vez, quanto aos seus níveis de atividade física e comportamento sedentário, representando o dobro do valor monitorizado no final de 2020.

Em comunicado, a DGS também afirma que ao serem disponibilizadas "ferramentas digitais para a avaliação da atividade física" a partir de 2017 nos CSP, os utentes a quem foi realizada uma segunda e terceira avaliações da atividade física evidenciaram uma tendência de aumento do seu nível de atividade física ao longo do tempo.

Mais horas sentados

Um outro estudo realizado pela DGS REACT-Covid, feito em outubro, 2021 e que envolveu 4930 indivíduos com 18 ou mais anos revela, porém, que no ano passado "aumentou o tempo sedentário - de 7 ou mais horas por dia - passou de 38,9% em 2020 para 46,4% no ano passado. Em comunicado, a DGS afirma que os resultados sugerem que a atividade física e o comportamento alimentar parecem influenciar-se mutuamente, o que sublinha a importância de uma abordagem integrada na promoção destes comportamentos.

O género, a idade e a situação socioeconómica também devem estar em conta na abordagem, afirma a DGS. O relatório elenca ainda as ações e estratégias previstas para o próximo ciclo, nomeadamente melhorar a capacitação da população para um estilo de vida ativo e a oferta de oportunidades para a prática de atividade em diferentes contextos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG