Astronomia

Cientista de Viana calibrou o telescópio espacial James Webb

Cientista de Viana calibrou o telescópio espacial James Webb

Tem 39 anos, é da pequena freguesia de Afife, em Viana do Castelo, e é uma das cientistas que estará de forma remota ao leme do telescópio espacial James Webb, não tripulado, cujo lançamento está agendado para este sábado, dia de Natal, a partir da Guiana Francesa, na costa nordeste da América do Sul.

Catarina Alves de Oliveira vai ter um Natal diferente de todos os portugueses, pois vai estar com os olhos postos no lançamento do James Webb. A astrónoma trabalha desde 2011 no Centro de Operações Científicas da Agência Espacial Europeia (ESA), em Madrid, Espanha, onde é responsável pela calibração e monitorização de um dos quatro instrumentos do telescópio, o espetrógrafo NIRSpec. "O telescópio vai operar a 1,5 milhões de quilómetros da Terra e não poderá ser reparado. Não há margem para erro e os testes intensivos no solo são a nossa melhor forma de preparação", afirma a cientista no seu site pessoal.

A vianense adianta que "o Webb é o telescópio com o maior espelho principal alguma vez lançado ao espaço, o que faz com que tenha uma sensibilidade 100 vezes superior à do seu predecessor, o conhecido telescópio Hubble, também fruto de uma colaboração entre a NASA e a ESA, e em operação há 31 anos".

Catarina ouviu falar do telescópio pela primeira vez quando estudava na Universidade do Porto e estava longe de imaginar que ia ser uma das peças mais importantes da engrenagem do James Webb. O lançamento do telescópio já foi adiado várias vezes, a última das quais quinta-feira devido ao mau tempo, mas tudo parece estar encaminhado para que a nova data de lançamento seja este sábado, às 12.20 horas de Portugal, e que o maior e mais caro telescópio alguma vez construído (estima-se que vá custar 8,57 mil milhões de euros) seja lançado para o espaço. Para Catarina é "o concretizar de um sonho profissional", mas lá em casa os mais atentos são os filhos, preocupados que o lançamento "possa afetar a rota do Pai Natal e das suas renas", confessou.

O objetivo do James Webb é, durante o primeiro ano, a contar desde meados de 2022, investigar como era o universo inicial quando se formaram as primeiras estrelas e galáxias. Depois, também vai estudar o nosso Sistema Solar, e descobrir de que são feitas as atmosferas dos planetas extrassolares em busca dos elementos necessários para a vida. Tudo isto a uma temperatura de 233 graus negativos.

Catarina é licenciada em Física/Matemática Aplicada (Astronomia) pela Universidade do Porto, tirou o mestrado na África do Sul, o doutoramento na Alemanha e o pós-doutoramento em França. Em 2011, juntou-se à equipa da ESA e, entre 2015 e 2020, trabalhou com eles em Baltimore, nos Estados Unidos, na fase de desenvolvimento e teste do James Webb.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG