Atualização das regras

Restaurantes: Só quem vive na mesma casa pode estar a menos de dois metros

Restaurantes: Só quem vive na mesma casa pode estar a menos de dois metros

A Direção Geral da Saúde quer que apenas as pessoas que vivem na mesma casa estejam a menos de dois metros dentro dos restaurantes, cafés e similares. E recomenda que as disposições das pessoas nas mesas sejam na diagonal e não frente a frente.

A atualização às orientações da DGS, publicada esta sexta-feira no site da DGS, prevê um conjunto de outras medidas que devem ser adotadas por "empresas de restauração", entre as quais que as regras em vigor estejam visíveis para os clientes e que o distanciamento de dois metros seja garantido em todas as ocasiões inclusive no momento de pagamento.

Pessoas que coabitem na mesma habitação "podem sentar-se frente a frente ou lado a lado a uma distância inferior a 2 metros", pode ler-se na norma. Já para os não coabitantes "a disposição das cadeiras e mesas no interior do estabelecimento tem de garantir uma distância de, pelo menos, 2 metros".

Os clientes devem, também, ser impedidos de modificar a "orientação das mesas e das cadeiras, permitindo que os funcionários o façam, sempre dentro das recomendações vigentes", e os lugares de pé, "pela dificuldade de garantir o distanciamento físico", são desaconselhados. Assim como as "operações do tipo self-service" (buffets e dispensadores de comida).

Circuitos para circular

A DGS recomenda ainda que a disposição dos lugares seja feita "em diagonal", para "facilitar a manutenção da distância de segurança" - 2 metros. Para respeitar as medidas aconselhadas os clientes devem sentar-se na diagonal e os estabelecimentos devem colocar as mesas desfasadas, aumentando a distância entre as pessoas.

Os estabelecimentos devem adotar sinaléticas, ou informação adequada, para fazer a gestão das distâncias nas filas de espera ou pagamentos no balcão. A circulação deve realizar-se em "circuitos", de forma a manter o distanciamento "entre as pessoas que circulam e as que estão sentadas nas mesas".

PUB

A orientação publicada pela DGS segue medidas semelhantes às anunciadas no final do primeiro confinamento (maio de 2020), quando os diferentes setores de atividade começaram a reabrir. Mantêm-se as recomendações de uso de ementas plastificadas ou interativas - QR codes -, marcação prévia de lugares, que se privilegiem os pedidos takeaway e os pagamentos que evitem contactos (como aplicações informáticas e cartões contacless), e evitar o uso de secadores de mãos, optando pelo papel de uso único.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG