Estudo

Pangolim terá sido o transmissor do novo coronavírus

Pangolim terá sido o transmissor do novo coronavírus

O pangolim, um pequeno mamífero em risco de extinção e um dos animais mais contrabandeados do mundo, pode ter sido o transmissor do novo coronavírus, que já matou 636 pessoas na China, de acordo com um novo estudo de cientistas chineses.

Investigadores da Universidade de Agricultura do Sul da China identificaram o pangolim como o "possível hospedeiro intermediário" que facilitou a transmissão do vírus para os seres humanos, divulgou a instituição em comunicado, citado pela imprensa estatal chinesa. O pangolim terá sido infetado por um morcego, apontado pela comunidade científica como fonte primária da infeção - segundo um estudo recente, os genomas do novo coronavírus são 96% iguais aos que circulam no organismo do animal.

O novo vírus 2019-nCoV foi identificado no início de janeiro, na China, na sequência de vários casos de pneumonia com causa desconhecida em trabalhadores de um mercado na cidade de Wuhan de venda de animais selvagens, como cobras, porcos-espinhos e pangolins.

Um estudo conduzido por cientistas chineses, e divulgado a 29 de janeiro na revista científica "The Lancet", já tinha confirmado que o coronavírus teria sido transmitido ao ser humano por um desses animais, que antes teria sido infetado por um morcego. A nvestigação agora divulgada, que testou mais de mil amostras de animais selvagens, concluiu que os vírus detetados nos pangolins são 99% idênticos aos encontrados em pacientes humanos.

Procurado pela carne e escamas

O pangolim é o mamífero mais contrabandeado do mundo, com cerca de um milhão de espécimes capturadas nos últimos 10 anos, nas florestas da Ásia e África. A caça ilegal é estimulada pelo aumento da procura pela sua carne e partes do corpo.

O pangolim, que tem a língua mais longa do que o corpo e se alimenta de formigas e térmitas, é protegido desde setembro de 2016, pela Convenção Internacional sobre o Comércio de Espécies Ameaçadas de Extinção, da qual a China é signatária.

Em algumas regiões da China e do Vietname, o uso da carne do pangolim é popular entre jovens mães, pelos seus supostos efeitos benéficos para o leite materno, enquanto as suas escamas são usadas em farmacopeia tradicional.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG