Defesa

Missão militar portuguesa na Roménia visa "prevenir e defender a paz"

Missão militar portuguesa na Roménia visa "prevenir e defender a paz"

O presidente da República afirmou que a força militar portuguesa que hoje partiu para a Roménia vai prevenir e defender a paz no leste da Europa e adiantou que o primeiro-ministro a visitará dentro de um mês.

Marcelo Rebelo de Sousa assumiu esta posição na cerimónia de partida dos 222 militares portugueses da força nacional que participará numa missão de dissuasão e de defesa da NATO, no aeroporto de Figo Maduro, em Lisboa. Uma cerimónia que contou com a presença da ministra da Defesa, Helena Carreiras, do chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, almirante António Silva Ribeiro, e dos chefes do Estado-Maior do Exército, Armada e Força Aérea.

Num breve discurso, Marcelo Rebelo de Sousa, Comandante Supremo das Forças Armadas, salientou a importância desta missão da NATO que esta força militar destacada vai cumprir na Roménia no contexto da guerra na Ucrânia. "É uma missão já prevista e agora consolidada, projetada e reforçada num país amigo, aliado - a Roménia - no quadro de uma aliança defensiva e não ofensiva. Uma aliança que não ataca, que está preparada para prevenir, preservar e defender a paz. É essa também a vossa missão", sustentou o Presidente da República.

Na sua intervenção, Marcelo Rebelo de Sousa referiu que, "em conjunto com o país irmão da Roménia, a força nacional estará presente para prevenir e preservar a paz com a capacidade, competência, espírito de corpo, a alma, a coesão, a disciplina, a partilha e solidariedade próprias dos militares portugueses". "Onde quer que nós vamos somos sempre dos melhores dos melhores, e assim será na Roménia e assim Portugal vos acompanhará, como tem acompanhado todas as forças nacionais destacadas", advogou.

A seguir, o Presidente da República avançou um dado sobre a agenda que o primeiro-ministro, António Costa, cumprirá em breve. Dirigindo-se aos militares portugueses, declarou: "O próprio senhor primeiro-ministro estará convosco dentro de um mês e eu também tenciono estar dentro de dois ou três meses, assim como depois no vosso regresso".

"Regressareis mais ricos de experiência, mais completos, mais realizados, podendo dizer às vossas famílias aqui presentes como estais a servir Portugal, serenamente, conscientes das vossas qualidades, da vossa formação e do valor da unidade de onde vindes", frisou o chefe de Estado.

Costa certo de que força militar portuguesa na Roménia vai prestigiar o país

PUB

O primeiro-ministro manifestou-se certo de que a força militar que hoje parte para a Roménia prestigiará Portugal e considerou que a invasão russa da Ucrânia exige uma afirmação clara da força de dissuasão da NATO.

"Estou absolutamente certo de que mais uma vez vão prestigiar as nossas Forças Armadas e o nosso país", declarou o líder do executivo na sua mensagem. "Neste dia da vossa partida para a Roménia, quero dirigir-vos uma palavra muito especial aos oficiais, aos sargentos e praças deste contingente. A invasão russa da Ucrânia constitui uma gravíssima violação do direito internacional", realçou António Costa.

O primeiro-ministro assinalou que as imagens e as notícias que chegam "todos os dias da Ucrânia são chocantes, de uma brutalidade inaceitável, com mortos, feridos, destruição e sempre dor e marcas que irão perdurar por várias gerações". "Portugal tem participado, desde a primeira hora, na onda de solidariedade à escala global para com o povo ucraniano. Tem fornecido apoio material, humanitário e militar, às autoridades ucranianas e, ao mesmo tempo, tem acolhido milhares de refugiados que, fugindo da guerra, encontram segurança e esperança em Portugal", observou.

O presidente da Assembleia da República considerou também que os militares portugueses vão defender a paz na Europa e prestigiar as Forças Armadas. "Desejo os melhores êxitos à força nacional destacada que partiu esta manhã para a Roménia. Vai defender a paz na Europa. Prestigiará Portugal e as suas Forças Armadas", escreveu o presidente da Assembleia da República no Twitter.

Militares na Roménia com treino exigente e bem equipados

O chefe do Estado-Maior do Exército considerou que os militares que hoje partiram para a Roménia tiveram treino com elevados padrões de exigência, estão preparados para "multifacetados" desafios e irão dispor de tecnologia moderna.

De acordo com o chefe do Estado-Maior do Exército, a mobilização e treino desta força, "conjunturalmente céleres, pautaram-se pelos mais rigorosos padrões de pragmatismo e exigência". "Todos os militares que a integram encontram-se aptos a enfrentar multifacetados e previsíveis desafios", assegurou.

O general José Nunes da Fonseca referiu-se também aos recursos materiais que foram disponibilizados aos militares desta força destacada para a Roménia. "Estão equipados com os melhores meios de que as Forças Armadas dispõem. Poderão operar com modernos sistemas de armas, os quais irão conferir segurança, incutir firmeza e credibilizar o desempenho nas mais variadas circunstâncias", assinalou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG