Pandemia

Vacinas em 39 hospitais e vários centros de saúde

Vacinas em 39 hospitais e vários centros de saúde

Das 70 200 doses que chegaram esta segunda-feira, mais de 9800 são para profissionais na linha da frente do combate à covid. No primeiro dia, 4828 foram inoculados.

A vacina da covid-19 começa esta terça-feira a ser dada aos profissionais de mais 39 unidades hospitalares, além daqueles que a começaram a receber no domingo, adiantou ao JN o Ministério da Saúde. Ao final da manhã desta segunda-feira, a ministra Marta Temido tinha já avançado que ficariam de fora desta nova etapa apenas "alguns hospitais especializados que não receberam doentes covid".

A tutela revelou ainda que 14% (cerca de 9800) das 70 200 doses que chegaram esta segunda-feira ao país serão distribuídas pelos agrupamentos de centros de saúde para a vacinação também dos seus profissionais. Mas o número não foi divulgado. O JN sabe que nos centros de saúde da Administração Regional de Saúde do Norte a vacinação dos médicos, enfermeiros e assistentes operacionais começa esta terça-feira.

No Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, que inclui os hospitais de Amarante e Penafiel, este último um dos mais afetados pela segunda vaga da pandemia, foram entregues 600 doses (470 para Penafiel e 130 para Amarante). Para o Centro Hospitalar de Gaia/Espinho foram encaminhadas 1195 doses que serão dadas entre esta terça-feira e quarta-feira. No Hospital de Braga vão ser ministradas 660 vacinas também em dois dias.

Na Região de Lisboa e Vale do Tejo, os Hospitais Beatriz Ângelo, em Loures, e Garcia de Orta, em Almada, vão distribuir 455 vacinas e cerca de 500, respetivamente.

PUB

Segundas doses

Os números podem parecer pequenos, em comparação com o total recebido esta segunda-feira, mas Marta Temido tinha já adiantado no domingo que nesta remessa seriam reservadas já as vacinas necessárias para dar a segunda dose, em janeiro, aos profissionais vacinados no mês de dezembro.

Depois de no domingo a governante ter visitado os centros hospitalares do Porto (São João e Santo António) e de Coimbra, esta segunda-feira acompanhou a vacinação nos hospitais Curry Cabral (Lisboa Central) e Santa Maria (Lisboa Norte).

De acordo com Marta Temido, no primeiro dia desta operação, a vacina da Pfizer-BioNTech foi dada a 4828 profissionais de saúde. Até esta segunda-feira, nenhum destes tinha reportado efeitos secundários relevantes, garantiu.

As previsões da tutela apontam para a chegada de 79 950 doses em cada uma das quatro semanas de janeiro. Perfazendo as mais de 319 mil anunciadas para o primeiro mês de 2021.

Medidas de prevenção

No Curry Cabral, o diretor do serviço de infecciologia, Fernando Maltez, foi um dos que receberam a vacina na presença da ministra. O especialista, que lida diretamente com a covid-19, considera que este é "o primeiro passo para a recuperação de uma pandemia que tem afetado a nossa vida sob todos os aspetos". Mas pediu que se continue a cumprir as medidas de prevenção até se conseguir imunizar a população.

Doentes de risco

O Ministério da Saúde prevê que os doentes de risco identificados para a primeira fase comecem a receber a vacina em fevereiro. Segundo o plano de vacinação tratam-se de pessoas com 50 ou mais anos que sofram de insuficiência cardíaca, doença coronária, insuficiência renal, doença pulmonar obstrutiva crónica ou doença respiratória crónica. Estima-se que sejam 400 mil doentes.

Convocados por SMS

Estes doentes, tal como os restantes utentes abrangidos na segunda e terceira fases, serão contactados pelos centros de saúde por SMS.

Hospitais privados

Marta Temido garantiu que todos os profissionais de saúde estão abrangidos. E que será feito um levantamento para que as doses sejam enviadas. A ministra lembrou que muitos acumulam funções no SNS com outros setores e que por isso recebem a vacina mais cedo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG