Média

André Ventura dispensado da CMTV e do Correio da Manhã

André Ventura dispensado da CMTV e do Correio da Manhã

O líder do Chega foi dispensado pelo canal de televisão e pelo jornal do grupo Cofina, onde era comentador há vários anos.

As razões da dispensa de André Ventura foram "editoriais", segundo palavras de Octávio Ribeiro, diretor-geral do grupo Cofina, ao semanário "Expresso". O mesmo acrescenta: "Acho que enquanto comentador fez a sua parte e foi sempre muito fiel ao projeto. Mas considero que recentemente foram ultrapassadas algumas linhas vermelhas e também já era altura de repensar os painéis".

O líder do Chega esteve recentemente envolvido numa polémica com o futebolista Ricardo Quaresma. O antigo jogador do F. C. Porto publicou nas suas redes sociais uma mensagem contra o racismo, onde referia André Ventura, após o deputado ter sugerido o confinamento obrigatório para pessoas da etnia cigana durante a pandemia de covid-19.

"O populismo racista do André Ventura apenas serve para virar homens contra homens em nome de uma ambição pelo poder que a história já provou ser um caminho de perdição para a humanidade", escreveu Quaresma. Na altura, ao JN, o líder do Chega considerou que "o Quaresma devia, em vez de criticar, sensibilizar a comunidade cigana para o cumprimento genérico das leis do Estado".

Ventura era um comentador assíduo de programas futebolísticos no canal e no jornal do grupo Cofina. À revista "Visão", o líder do Chega preferiu não adiantar mais comentários. "Estamos e estaremos sempre bem. Fico grato a uma casa e a um projeto onde fui muito feliz", disse.

Além de deputado único do Chega, André Ventura já anunciou ser candidato à Presidência da República, cujas eleições se realizam em 2021.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG