Imagens

Últimas

Vítor Santos

Costa apeado e Nuno Melo à boleia

Na semana passada, Pedro Nuno Santos anunciou o fim do sossego de António Costa. A conjuntura já não era favorável. Será sempre complicado governar num contexto de guerra em plena Europa e com o Mundo em recuperação lenta da estrondosa queda da economia devido à covid-19, menos ainda, portanto, quando do interior do Executivo socialista, suportado por uma maioria absoluta com meia dúzia de meses, surgem sinais de desnorte comunicacional em matérias tão sensíveis como a construção de um novo aeroporto para a capital do país. Ainda o Governo estava a recuperar da turbulência provocada pelo ministro das Infraestruturas e nova nuvem surgia no horizonte de António Costa, esta anunciada, com a entronização de Luís Montenegro no PSD.

Vítor Santos

Dar futuro à Saúde

Percebe-se a necessidade de encontrar respostas rápidas para o caos do Serviço Nacional de Saúde (SNS), é preciso reconquistar a confiança dos profissionais e tornar a carreira mais atrativa, mas esta ideia de quase resumir as soluções ao aumento de remunerações é um erro crasso. Será preciso muito mais para normalizar a oferta e melhorar a relação entre hospitais e utentes, agora num desgaste permanente e sem sinais de cura, segundo a perceção da diretora-geral da Saúde, cuja mensagem forte da última intervenção consistiu em desaconselhar os portugueses a ficarem doentes no verão.

Vítor Santos

Este país não é para jovens

O presidente da Câmara de Aveiro colocou o dedo na ferida, recentemente, ao comentar a dificuldade que as empresas do concelho têm em contratar trabalhadores. Ribau Esteves garante que, no imediato, faltam cerca de 1500. O problema não é novo, é até transversal a boa parte do país e tem várias dimensões. Uma delas está plasmada na manchete de hoje do "Jornal de Notícias", onde se pode ler que os salários dos licenciados caíram mais de 10% nos últimos nove anos.

Vítor Santos

O silêncio é de ouro e de Costa

A dois meses das legislativas, o silêncio tem sido o melhor amigo do Partido Socialista. António Costa há de reaparecer hoje para animar a bancada rosa do Parlamento e terá uma semana bastante ocupada até ao dia do anúncio daquilo que todos sabemos: novas medidas de combate à pandemia, coisas tão básicas e necessárias como distanciamento, uso de máscara, aceleração da testagem e uma solução milagrosa de task force 2 da vacinação, este sim, um grande problema, atendendo à quantidade de pessoas que é necessário vacinar em tempo recorde com a terceira dose - a segunda, no caso daqueles que tomaram o fármaco da Janssen.

Vítor Santos

A mudança de Rui Costa

As primeiras impressões indicam mudança, são mais consentâneas com um quadro de rutura do que de continuidade, o que surpreende, atendendo a que Rui Costa esteve 13 anos ao lado de Luís Filipe Vieira no Benfica. Os próximos tempos ajudarão a perceber se estamos perante uma alteração profunda, ou se estes sinais foram apenas o reflexo de uma operação de cosmética destinada a captar apoios. Até prova em contrário, a realidade dá todo o crédito ao novo presidente das águias.